CABO DE SANTO AGOSTINHO

Localizado ao sul do Recife, o município Cabo de Santo Agostinho tem uma história tão larga quanto a de Pernambuco. logo no início dos anos de 1560, Duarte e Jorge Albuquerque Coelho, seus filhos, fizeram guerra aos índios Caeté que dominavam a região e, depois de dominada a região, as terras foram dadas em sesmarias para colonos que ali construíram engenhos. Foi Paes Barreto que criou o Morgado de Nossa senhora Madre de Deus do Cabo de Santo Agostinho, mais tarde conhecido como engenho Velho. Já ao término do século, no ano de 1593,  foi criada a freguesia do Cabo. Quando ocorreu a invasão dos holandeses a região sofreu reveses, mas logo após a Restauração Pernambucana, os proprietários tiveram seus engenhos devolvidos.

A a freguesia do Cabo esteve sob jurisdição de Olinda e do Recife, mas em 1811 foi criada a Paróquia e a vila do Cabo de Santo Agostinho, extinta em 1846 e restaurada em 1849. Foi no ano de 1911 que, elevada à condição de cidade, Passou a ser denominada simplesmente de Cabo, retornando a Cabo de Santo Agostinho em 1997. O município é formado pelos distritos de Jussaral, Ponte dos Carvalhos e Santo Agostinho. Ao longo desse período, a monocultura da cana de açúcar foi a sua principal riqueza. Atualmente o Cabo de Santo Agostinho vem crescendo industrialmente com a construção do Porto de Suape.

Uma das mais interessantes celebrações do Cabo de Santo Agostinho é que ali se tem como descobridor o espanhol Vicente Yanez Pizon que chamou aquela região de Cabo de Santa Maria de La Consolacion.

Chama atenção a beleza das praias de Gaibu, Paiva, Itapuama, Xereu, Calhetas e Paraíso, além de Suape. Um dos engenhos mais famosos do município é o de Massagsana, onde, em criança, viveu o abolicionista Joaquim Nabuco. Além desse ponto de visitação, há também as ruínas do Convento dos Carmelitas, a Igreja de Nossa Senhora de Nazaré e o Forte do Castelo do Mar.

No lugar conhecido como Pontezinha, faz treze anos que vem ocorrendo o Festival de Coco, que reúne mestres coquistas de Pernambuco, e faz parte do calendário cultural do estado.

http://encontropernambucanococo.blogspot.com.br/

http://pt.wikipedia.org/wiki/Cabo_de_Santo_Agostinho

http://www.ibge.gov.br/cidadesat/topwindow.htm?1

texto escrito por: Severino Vicente da Silva

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *