OS BOIS NO CARNAVAL DE TIMBAÚBA

São muitas as manifestações da criatividade popular que assistimos nos dias de Carnaval. Uma das mais interessantes e que parece estar sumindo é a dos Bois de Carnaval. Muito falado é o encontro de bois que acontece em Olinda, na Rua da Boa Hora, na Quarta feira de Cinzas e ocorre na frente da Casa de Dona Dá.  Para sair um boi ele é acompanhado por um vaqueiro, um bombo, uma caixa, um mineiro e um ganzá. As danças de bois estão ligadas às festas de renovação da vida, eles apareciam também na Festa da Páscoa, pois no Bumba Meu Boi, o animal morre mas depois ressuscita.  O Boi passou de festa ligada à religião para brincadeira de carnaval. Mas todos nós sabemos a importância que o boi teve na nossa região: puxando carros carregados de cana para os engenhos com sua força e tranquilidade; depois, eram usados para mover os engenhos no esmagamento da cana, lhe tirando o caldo a ser transformado em açúcar. Açúcar pronto, de novo puxando os carros, os boi levavam as caixas de açúcar para os locais de venda. E os carros de bois ainda eram usados para o transporte das famílias senhoriais quando iam visitar seus vizinhos nos engenhos próximos.

Em quase todas as cidades da Zona da Mata tem um Boi que sai no carnaval, mas é em Timbaúba que acontece o grande Encontro de Bois. No município são 45 os Boi de Carnaval reconhecidos pela Diretoria de Cultura.

A moradia desse bois são em três morros da periferia de Timbaúba: Alto da Independência, Morro do Cruzeiro e Alto de Santa Terezinha. A criação e manutenção desses brinquedos criados e mantidos pela gente trabalhadora e alegre é que garantiu a  Timbaúba o Título de Terra dos Bois de carnaval e essa identidade cultural está sendo reconhecida, com muita justiça, pelas recentes gestões municipais.

 No “Encontro de Bois de carnaval de Timbaúba”, além dos bois da cidade,  Timbaúba recebe a visita de grupos de outras cidades da Região.

Dentre os muitos grupos, vamos destacar alguns, como o  Boi Rubro-negro, criado por Daniel Ferreira da Silva, popular Daniel Fogueteiro que ultrapassou os 50 anos de fundação, ele é considerado o boi mais antigo do município, foi criado no Alto da Independência;

O Boi de Trigo que foi fundado em 1980 por Rosenildo José da Silva o popular Crua, mas inicialmente ele foi chamado de Boi Trovoada e de 1990 até hoje de Boi de Trigo. Pode ser dito que foi o Boi de Seu Elias, existente desde 1968 que deu inspiração a Rosenildo.  O Boi de Trigo tem sido um dos grandes campeões do carnaval timbaubense. Ele tem 13 títulos de Campeão quatro de 2° lugar e Dois de 3° lugar.

 O Boi Surpresa, que tem endereço na Rua da cruz, o Boi da Disnove, que vive na Rua do INSS e o Boi Vaca Princesa, são outros que queremos lembrar hoje

 No desfile o grupo de Boi deve aparecer com os seguintes componentes: O boi, o Porta-bandeira, uma Rainha, e várias Meninas, Toureiros, um Mestre, um Contramestre, uma Burrica, um Vaqueiro,  a Mulher da Maleta e uma Batucada.

 No próximo carnaval, encontre um tempo e não deixe de conhecer o Encontro de Bois de Timbaúba.

Texto escrito pelo Especialista em História Luiz Carlos Alves Farias (UFPE) e pelo professor Severino Vicente da Silva

4 Comments on “OS BOIS NO CARNAVAL DE TIMBAÚBA

  1. Muito importante para manter a tradição dos bois de carnaval acesa na memória.
    Esse ano o Encontro dos bois de carnaval de Timbaúba foi bastante expressivo.

    • Caro Luiz Cláudio, você pode nos auxiliar nesta tarefa escrevendo um outro texto sobre o assunto. Ficaremos contentes em publicar

  2. Errata: em vez de ser Luiz Carlos Alves Farias se lê Luiz Claudio Alves Farias

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *