AREÓPAGO DE ITAMBÉ

No final do século XVIII, a Capitania de Itamaracá foi definitivamente incorporada à Capitania de Pernambuco. Goiana, que havia sido a sede da Capitania de Itamaracá, era um centro produtor de açúcar mas era também um local de convergência de muitos comerciantes que chegavam do interior da Paraíba, do Ceará para a grande feira que ocorria em Nossa Senhora do Ó, hoje Tupaoca. Um lugar de descanso para os que iam ou voltavam da feira era Itambé, local de importância desde os tempos de André Vidal de Negreiros, que lutou para expulsar os holandeses da região.

Após a expulsão dos holandeses, os habitantes de Goiana conseguiram permissão para o estabelecimento dos frades carmelitas na cidade e, então foi construído o Convento de Santo Alberto. Foi nesse convento que Manuel Arruda Câmara, nascido em Portugal, fez profissão religiosa no ano de 1783, com idade de 31 anos. Depois foi para Portugal fazer estudos, formando em Filosofia Natural na Universidade de Coimbra, recebendo, na Universidade de Montepelier, na França, o grau de Doutor em Medicina.

  Voltando a Pernambuco em 1793, fez algumas viagens de estudos e pesquisas no Piauí, Ceará e na região do Rio São Francisco, sempre a serviço da Coroa portuguesa, estudando o solo e procurando verificar quais as melhores culturas a serem implementadas na região. Além dessas contribuições para a ciência e para a economia da região, o Doutor Arruda Câmara criou, em Itambé, uma sociedade secreta, hoje conhecida como Areópago de Itambé.

A palavra Areópago tem vários significados, mas todos eles nos remetem a um local onde as pessoas se reúnem para debater ideias. É um local de encontro, um lugar para as pessoas trocarem informações, conversarem. No tempo em que o doutor Arruda Câmara criou o Areópago em Itambé, o principal assunto era a ideia de liberdade. O Dr.Arruda Câmara havia estudado na França na época em que acontecia a Revolução Francesa e, ele trouxe consigo os ideias de liberdade. Na sua casa, em Itambé, ele recebia gente que viajava desde Recife e Olinda para conversar com ele e receber orientações em seus estudos e pesquisas. A sua casa era um ponto de cultura, um espaço de convivência e socialização. Muitas das reuniões que ali eram realizadas tinham um caráter de segredo, porque eles eram maçons, ou seja, Pedreiros Livres, pessoas comprometidas com a liberdade em uma colônia.

As conversas no Areópago de Itambé influenciaram a Revolta dos irmãos Cavalcanti, que ficou conhecida como Revolta dos Suassuna; a Revolução Pernambucana de 1817 foi outro movimento que recebeu influencia das conversas na casa de Arruda Câmara. O mesmo aconteceu com a Confederação do Equador de 1824.

Manuel de Arruda Câmara morreu em 1810, não viu o Brasil independente, mas os seguidores de suas ideias, como frei Caneca, carmelita que também estudou em Goiana, fizeram a independência do Brasil.

Itambé é um monumento importante na construção da independência do Brasil. Itambé tem orgulho do Areópago, os brasileiros amantes da liberdade se orgulham de Itambé.

Severino Vicente da Silva

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *