CHÃ DE ALEGRIA

Cada cidade tem um nome, uma maneira de tornar clara a sua identidade. Uma das mais bonitas identidades, ou nome da cidade é Chã de Alegria. Chã é uma região plana e quase sempre fica no alto de uma serra. Uma característica da Mata Norte é que suas terras são altas, em média de cinquenta a cem metros de altitude.

Ainda no século XVII, uma neta de Duarte Coelho Pereira fez doação de terras ao preto Davi Pereira do Rosário. Era ainda uma região de mata virgem, com uma lagoa que ficou conhecida como Lagoa Grande. Além da Lagoa, as águas da região são dos rios Goitá, Aratangi, e dos riachos Palheta, Café, Urubas e Salgado.  Foi próximo a Lagoa Grande que Davi Pereira do Rosário resolveu morar.

Davi deve ter sido um escravo dos Pereira, por isso recebeu esse nome e, deve ter recebido como madrinha de batismo a Senhora do Rosário. E claro, que a chã que fica entre Paudalho, Glória do Goitá e Vitória de Santo Antão, foi um lugar de alegria para Davi que, além da terra deve ter recebido também a liberdade. Parece que Davi era corcunda, por isso os negros que foram morar com eles naquela terra eram chamados de Pretos do Corcovado. Mas a Chã tinha que ser de Alegria e a igreja construída no vilarejo  foi dedicada a Nossa Senhora do Rosário. Os pretos do Corcovado construíram as suas casas de taipa e na rua do Rosário começou o que hoje é a cidade de Chã de Alegria. Quando Glória do Goitá passou  a ser município no ano de 1877, o vilarejo de Chã de Alegria, também conhecido como Timbó dos Negros, ficou sendo povoado de Glória do Goitá; em 1931 passou a ser vila e, no ano de 1963, a antiga Timbó dos Negros passou a ser a cidade de Chã de Alegria.  Quem nasce lá se diz alegriense.

Atualmente o município tem cerca de 12.000 habitantes e um de seus orgulhos é que sua cidade também é conhecida por ser a “terra do banho de cheiro” por ser essa uma das características do seu carnaval, além dos Maracatus de Baque Solto Pavão Dourado e Leão Vencedor.

A riqueza econômica do município vem das 18 toneladas de cana de açúcar, das 900 toneladas de mandioca, das 300 toneladas de banana, além da produção de maracujá, coco da baía e abacaxi. Além disso, Chã de Alegria tem rebanhos de equinos, bovinos, além de ser um grande produtor de galináceos.

O simpático município de Chã de Alegria possue oito estabelecimento de saúde e quinze estabelecimento de ensino.

.Fontes de pesquisa:

http://www.cprm.gov.br/rehi/atlas/pernambuco/relatorios/CDAL047.pdf

diagnóstico do município de Chã de alegria, Ministério de Minas e energia, 2005;

Wilkipédia;

IBGE

Texto Escrito por Severino Vicente da Silva

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *