MESTRE ZÉ DUDA

Todos os carnavais nas cidades da Mata Norte são esperados ansiosamente pelos seus habitantes. É durante o carnaval que ocorrem, em diversas cidades, os maiores encontros de maracatus rural; o momento dos desfiles dos maracatus, dos caboclos, das brincadeiras das catitas e, principalmente é o momento de ouvir os improvisos dos mestres. Desde que os maracatus começaram a se apresentar nos engenhos, nos povoados e, finalmente nas cidades, a poesia foi acompanhando a invenção da orquestra do maracatu, o terno. Ah! Surge o Mestre do Maracatu.

O Mestre organiza a sua orquestra com o trinado do apito que indica o momento das marchas, dos sambas ao mesmo tempo que orienta o Mestre Caboclo a movimentar seu povo, sua nação. Os primeiros mestres tornaram-se referência para todos os que vieram depois. São lendários os nomes de Antonio Baracho, Painho, Zé Catú, Joaquim Miguel, Aprígio Gabriel.

Entre os muitos mestres de maracatu que atualmente encantam os desfiles, vamos conversar sobre José Bernardo de Souza. Ele nasceu em Buenos Aires no ano de 1939 e está brincando carnaval desde 1949, quando ainda tinha dez anos. Sua fama cresceu enquanto ele acompanhava blocos, caravanas e maracatus cantando versos, improvisando e fazendo sonhar os caboclos, os trabalhadores dos canaviais. José Bernardo de Souza é o nome de batismo do Mestre Zé Duda do Maracatu Estrela de Ouro de Aliança, e que é conhecido como o Peito de Aço de Aliança, ganhador de muitos troféus, por isso é apelidado de Papa Taça. Seu primeiro trabalho foi no Maracatu Leão do Engenho Vasconcelos, e foi mestre do Boi de Lau Marchante, um boi amaracatuzado;foi mestre na Caravana de Manuel Rafael, no Engenho Jardim; em Condado, foi mestre do Maracatu Cambinda Estrela de Luiz Justo, ali no Engenho Bonito, em Condado; Ainda em Condado foi mestre do Leão Coroado que era de João Bevenuto, lá no engenho Retiro. Desde 1968 tem sido mestre do Maracatu Estrela de Ouro. Uma pequena pausa, no ano de 1977, ele foi o mestre do Maracatu Piaba de Ouro de Manuel Salustiano, em seu primeiro desfile no Recife. Essa consagração continua dez anos depois, quando leva o Estrela de Ouro a ganhar vários campeonatos na capital, o que lhe valeu o título de Papa Taças. Zé Duda, como os mestres mais antigos dos maracatus de Baque Virado, trabalhou no eito: foi ticuqueiro, cavou vala, cambiteiro, serviu de correio para donos de engenho, aventurou-se no Recife e foi ajudante de pedreiro em construções no bairro do Espinheiro. Mas sua vocação sempre foi a poesia, o improviso que, sem escola e sem leitura é capaz de encontrar a beleza e a elegância que faz o orgulho daqueles que o conhecem. Atualmente morando em Catuama, faz poesia com a Mestra Gil, do Maracatu Coração Nazareno, organizado pela Associação das Mulheres de Nazaré da Mata.

Mestre Zé Duda, o Peito de Aço de Aliança, o Papa Taças é, Monumento da Cukltura da Zona da Mata Norte de Pernambuco.

Fontes:

Entrevistas ao autor.

SILVA, Severino Vicente da. Maracatu Estrela de Ouro de Aliança, a saga de uma tradição. Recife: Editora Reviva, 2008.

Texto escrito por Severino Vicente da Silva

One Comment on “MESTRE ZÉ DUDA

  1. Que Maravilha!!! falar de um dos mais respeitado, mestre de maracatu de baque solto, Mestre Zé Duda, que coisa boa!!! tenho a honra de brincar em um maracatu, que tem esta obra prima como mestre!!!!! para mim a melhor maneira de falar de Zé Duda, é ter a oportunidade de vê-lo cantando, suas marchas, seus sambas, seus galopes, sua ciranda, seu coco-de-roda e suas toadas do cavalo marinho. Ele é um poeta completo,como eu o disse uma vez, o senhor mestre, é um poeta quatro em um!!!. Eu gosto muito deste verso do Mestre Zé, Eu já brinquei na Piaba, eu já brinquei no Leão, mais o laço da Estrela atraio meu Coração!!! Diz o mesmo poeticamente. Valeu meu professor!!!!!!!!!!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *