O BURACO DA JIA

Quando uma pessoa escuta o nome de Goiana, cidade de Pernambuco, duas referências chegam à mente. O conjunto de igrejas que foram construídas nos séculos XVIII e XVIII e tombadas pelo Patrimônio Histórico do Brasil, na década de trinta do século passado; outra referência é o Restaurante Buraco de Jia, que começou a funcionar em 1956.

A história do restaurante quase confunde-se com a história de Luiz Moraes. Nascido na região, passou algum tempo no Rio de Janeiro, cumprindo a sina de muitos nordestinos que viam no Sudeste do Brasil as possibilidades que a Nordeste quase sempre nega aos nordestinos mais pobres. É verdade que alguns remediados também foram e ainda vão tentar começar novo destino no “sul maravilha”. Mas Luiz Moraes voltou para assistir ao casamento de seu irmão e, vejam só!, apaixonou-se pela irmã da noiva. Resolveu ficar em Goiana. Não mais ser camelô nas ruas cariocas. Com as economias que possuía comprou a casa que faz esquina na Rua Padre Anselmo Batalha com a Rua do Bom Jesus, próximo da beleza da Igreja Nossa Senhora da Conceição. Ali resolveu que iria morar e tirar o sustento para si e sua família. De uma venda para local de refeição que foi nomeado de Buraco da Jia.

Esse nome, Jia com J e não com G, é porque a jia é de seu Luiz e ele sempre quis assim. E é também por conta de uma cacimba que havia no quintal onde, vivia o batráquio. Apesar do nome, o restaurante serve deliciosos pratos de peixes, camarões, lagostas, é famoso pelos guaiamus e caranguejos-uçá  criados especialmente para deliciar o paladar de todos que por ali passam. Caquinhos de caranguejos são deliciosos para acompanhar o aperitivo antes da refeição principal.  Além disso, Seu Luiz conseguiu um ótimo auxiliar, um guaiamu crescido que serve a bebida para os visitantes.

Com esse atrativo e sua simpatia, Seu Luiz tornou o Buraco da Jia em parada obrigatória para os que seguem em direção a João Pessoa ou que de lá estão em demanda ao Recife.  E está tudo documentado com fotos de governadores, artistas, intelectuais, empresários, e outros. Ao entrar no Buraco da Jia o visitante ocupará espaço que foi visitado por Juscelino Kubistchek, Assis Chateaubriand, Gilberto Freyre, Caubi Peixoto e muitos outros importantes e famosos.

O Buraco da Jia, ao longo de sua vida tem recebido ilustres vizinhos como o SESI e a Faculdade de Ciências Professor Dirson Maciel e o atelier de Zé do Carmo.  Seu Luiz é, por seu trabalho e pela visibilidade que deu à cidade, um embaixador, um anfitrião da cidade. Parada obrigatória que cresceu com Goiana ao longo da segunda metade do século, o Buraco da Jia é uma referência cultural de Goiana e da Zona da Mata Norte.

http://quadro-magico.blogspot.com.br/2009/05/buraco-da-gia-e-parada-obrigatoria.html

Texto escrito por: Severino Vicente da Silva

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>