Bloco Rural Caravana Andaluza

Sempre que ocorre uma processo de mudanças, ainda que sejam mínimas e de caráter conservador, ou seja, ocorrem sem modificar a estrutura social, os populares, aqueles que quase não são vistos na sociedade, encontram meios de projetar a sua criatividade. Especialmente quando se é jovem. Foi assim depois do fim da escravidão e da Proclamação da República quando começaram a aparecer os primeiros caboclos de lança e o Maracatu Rural. Foi assim em 1963 com o jovem José Joaquim Filho, muito conhecido com o apelido de Deca Miliano, junto com outros resolveram inventar um jeito de animar o carnaval na zona rural de Tracunhaém.

O governo de Juscelino Kubistchek entre 1956 e 1960 foi um período de otimismo, ficou conhecido como Anos Dourados. Para promover o desenvolvimento do Nordeste foi criada a Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste, a SUDENE e parecia que iria haver um momento de industrialização da região. Esse movimento provocou mudanças nas relações de trabalho na Zona da Mata de Pernambuco. E as famílias de agricultores começaram a mudar de engenhos em busca de melhores condições de trabalho. No governo de Miguel Arraes esses trabalhadores começaram ter carteira assinada e perspectiva de vida melhor. Nos engenhos de fogo morto havia muitos moradores que faziam o plantio, a limpa, o corte e transporte da cana até as usinas. Foi nesse ambiente que o jovem Deca Miliano, que vivia no Engenho Abreus, então com 18 anos e seu amigo Luiz Francisco de Souza acharam por bem de criar um bloco para que os jovens como eles pudessem se divertir durante o carnaval. Era preciso uma bandeira, alguém que se vestisse de burra, uma orquestra formada por um caixa, um zabumba e uma sanfona e rapazes e moças para formar duas filas para o desfile. E como precisavam de um nome, foram falar com Maria Augusta e Milita que moravam na casa do Engenho. No dia seguinte eles sugeriram Andaluza. Assim é que nasceu o Bloco Rural Andaluza no dia 9 de setembro de 1963 quase meio século atrás.

Hoje o Bloco Rural Andaluza é também um Ponto de Cultura desde 2009, reúne os jovens em oficinas de artesanato e música. É um dos grandes sucessos do carnaval de Tracunhaém e ainda conta com Deca Miliano que está passando a sua arte e alegria para filhos e netos.

O Bloco Rural Andaluza do Engenho Abreu é um Monumento da História de Tracunhaém, da Mata Norte e de todos os trabalhadores da cana.

 

 

http://biuvicente.com/historiaecanavial/?tag=bloco-andaluza

http://gilsondoturismo.blogspot.com.br/2010/01/bloco-rural-andaluza-do-engenho-abreus.html

Texto escrito por: Severino Vicente da Silva

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *